Descendo pela Espiral

Houve um tempo em que você podia se reunir com amigos, familiares e até estranhos e falar sobre os mais diversos assuntos.

Havia momentos de discussão, risadas e pausas silenciosas. Ninguém queria “ganhar” a discussão, a não ser por zoeira. Não havia ofensas. ninguém gritava, apontava o dedo na cara do outro ou ofendia seu interlocutor.

Era um tempo bom. E eu sinto muita falta disso…

Me lembro de incontáveis noites que virei com meus amigos e amigas falando dos mais diversos assuntos, com pontos de vista diametralmente opostos, com correntes de pensamento conflitantes, e estava tudo bem.

Hoje? É um saco!

Hoje eu não consigo falar na maioria dos lugares que gostei de [insira algo], porque a) eu sou um vendido que só assiste/lê/ouve cultura tal; b) eu só assisto isso porque é modinha; c) ain, o livro é muito melhor e o seriado tcheco de 1983 que não foi lançado no ocidente dá de dez a zero.

ITEM A) Não posso citar o pensamento ou obra de uma pessoa, que já sou tachado de: (i) algum tipo de `ista`; (ii) ser de esquerda, direita ou diagonaley; (iii) preconceituoso, liberal, retrógrado, ou o termo da semana que é palavrão para aquele grupo do qual a pessoa se filiou naquela quinzena.

Então hoje eu estou na espiral do silêncio. Ė um termo que significa (pelo menos é o que eu entendi) que você se cala, não expressa mais suas opiniões, porque está cansado, ou com medo das reações das pessoas ao seu redor. Você simplesmente abre não de participar de discussões, de dar sua opinião.

Assim, se em todo lugar que você vai e faz seus discursos do seu ponto de vista e ninguém te contradiz, pode ser que você não seja o gênio que pensa que é. Talvez o seu lado não esteja tão certo assim. Pode ser apenas que as pessoas ao seu redor nem querem mais falar com você, elas não aguentam sua chatice, sua agressividade, sua falta de respeito.

Ah, e só andar com pessoas que pensam igual a você também é ruim. Mentes que pensam igual erram juntas.

Também descobri que o mal do mundo sou eu. Verdade? Verdade verdadeira, sabe por que? porque sou branco, homem e heterossexual.

Além de muitas postagens na internet, eu ainda ouvi isso em dois cursos do meu empregador, o/a palestrante dizendo que a culpa do mundo moderno é do “homem branco e heterossexual”. ah, peralá, nomeie quem fez isso, não joga a porcaria da culpa em mim.

Eu não me lembro de ter feito mal ao mundo, eu sempre estive ocupado demais trabalhando e estudando. Sim, porque eu trabalho com carteira assinada desde os 13 anos de idade, aprendi inglês graças à minha mãe que era empregada doméstica ralou para pagar essas aulas quando eu era criança. Entrei para uma faculdade que eu paguei por eu ter pago um cursinho já que o ensino da escola pública era horrível. Passei num concurso publico porque fiquei anos estudando de segunda a segunda. Eu não posso te feito mal ao mundo porque estava estudando e trabalhando.

E sabe o que é mais legal? se eu falar isso em voz alta vou ter que ouvir as coisas do ITEM A acima. divertidíssimo ouvir e ler que o que eu sou e quase um palavrão.

Isso me traz ao conceito de liberdade atual: as pessoas, independentemente de suas ideologias, a maioria, só quer liberdade para ser como o grupo delas é. Isso e tão errado. Devemos lutar para a liberdade ser para todos!

Liberdade para sair pelado na rua ou usar uma burka.

Liberdade para ser do gênero que se identifica, ou não ter genero, mas também liberdade para seguir a sua biologia.

Liberdade para ser de esquerda, direita, centro ou ignorar tudo isso e tudo bem.

Liberdade para não ser rotulado: não é porque citei Marx que sou comunista, não é porque citei Olavo que sou bolsonarista, não é porque me divirto com batalha de rap que sou a favor da Russia.

Cada ser humano é único e maravilhoso. cheio de complexidades e opiniões. dêem-nos liberdade para que possamos conversar de forma saudável.

Sem ódio, com respeito.

Sem humilhar, com compaixão.

Sem separação, com União

No olho por olho, dente por dente, acabaremos todos banguelas, cegos e vamos morrer sozinhos abraçados em nossas “certezas”.

Desejar e celebrar a morte do outro não faz do mundo um lugar melhor. Conversar educadamente, talvez.

Uma consideração sobre “Descendo pela Espiral”

  1. Hoje não há espaço para discussão, apenas monólogos raivosos cheios de certeza.
    Infelizmente as pessoas preferem perder amizades e relacionamentos duradouros pelo simples prazer de se sentirem donas da verdade absoluta.
    E para aqueles que não querem levar sermão de alguém tentando por horas e mais horas convertê-los a A ou B, muitas vezes só resta se esquivar de assuntos polêmicos e ficar calado, apenas “sorria e acene”.
    Eu me pergunto quanto disso tudo as pessoas realmente acreditam ou se estão apenas reproduzindo o que pensam que os outros querem ouvir.
    Permita-se ser diferente, permita-se ser igual, permita-se ser você mesmo, mesmo sem certeza do que isso significa.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: